A “greve branca” da polícia militar do Espírito Santo: Confronto político e efeitos sobre as políticas públicas

  • Guilherme Dall'Orto Rocha UFES

Resumo

Entre 03 de fevereiro e 25 de fevereiro de 2017, mulheres e familiares dos policiais militares do Espírito Santo realizaram bloqueios nos Batalhões da Polícia Militar de diversas cidades do estado, pleiteando, em especial, reconhecimento da posição da categoria e implementação de medidas pelo Estado para aprimoramento de direitos trabalhistas. O evento levou ao caos na segurança pública do Espírito Santo, sendo tratado por seus opositores como uma mobilização grevista, uma “greve branca” da Polícia Militar, impedida constitucionalmente deste tipo de movimento. O presente artigo se insere em pesquisa mais ampla que busca a análise do evento, desde suas origens anteriores à paralisação até os efeitos desta decorrentes. Este ensaio visa apresentar os métodos utilizados para estudo dos efeitos da mobilização sobre as políticas públicas, com breve análise quanto ao repertório utilizado pelos reivindicantes, e um diagnóstico preliminar dos efeitos da greve, trazendo sua importância para a formação de agenda (agenda-setting) no âmbito estadual.

Referências

ALONSO, Angela. As teorias dos movimentos sociais: um balanço do debate. Lua Nova, São Paulo, n. 76, p. 49-86, 2009. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0102-64452009000100003>. Acesso em: 05 jan. 2018.

AMENTA, Edwin; CAREN, Neal, CHIARELLO, Elizabeth; SU, Yang. The political consequences of social movements. Annual Review of Sociology, v. 36, p. 287-307, 2010. Disponível em: <10.1146/annurev-soc-070308-120029>. Acesso em: 05 jan. 2018.

ARAÚJO, Paulo Magalhães. Racionalidade, instituições e normas: uma análise sobre a ação coletiva e a estabilidade das escolhas sociais. Revista Isegoria - Ação Coletiva em Revista, v. 01, p. 100-133, 2011.

CARLOS, Euzeneia; DOWBOR, Monica; ALBUQUERQUE, Maria do Carmo. Movimentos Sociais e seus efeitos nas políticas Públicas: Balanço do debate e proposições analíticas. Civitas, Porto Alegre, V. 17, n.2, p. 360-378, mai-ago-2017

COBB, Roger W., and ELDER, Charles D.. 1972. Participation in American Politics: The Dynamics of Agenda-Building. Baltimore, MD: The Johns Hopkins University Press.

EARL, Jennifer. Methods, movements and outcomes: methodological difficulties in the study of extramovement outcomes. Research in Social Movements, Conflicts and Change, n. 22, p. 3-25, 2000.

FERNANDES, Eduardo Silva. Movimento das Marias e a greve branca da PM-ES: conflito aparente de normas constitucionais. Revista Jus Navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 22, n. 4989, 27 fev. 2017. Disponível em: <https://jus.com.br/artigos/55738>. Acesso em: 10 abr. 2017.

KINGDON, John W. Como chega a hora de uma ideia? In: SARAIVA, Enrique; FERRAREZI, Elisabete (orgs.). Políticas Públicas: Coletânea. Volume 1. Brasília: ENAP, 2007a.

______. Juntando as coisas. In: SARAIVA, Enrique; FERRAREZI, Elisabete (orgs.). Políticas Públicas: Coletânea. Volume 1. Brasília: ENAP, 2007b.

MCADAM, Doug; TARROW, Sidney; TILLY, Charles. Dynamics of contention. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.

MCADAM, Doug; MCCARTHY, John; ZALD, Mayer. Comparative perspectives on social movements: political opportunities, mobilizing structure, and cultural framings. Cambridge: Cambridge University Press, 2006.

SECCHI, Leonardo. Políticas Públicas: Conceitos, Esquemas de Análise, Casos Práticos. São Paulo: CENGAGE Learning, 2014.

TARROW, Sidney. Power in movement: social movements, collective action and politics. Nova York, Cambridge University Press, 2011.

TILLY, Charles. Contentious Performance. Cambridge, 2008

TSEBELIS, George. Jogos ocultos. São Paulo, Edusp, 1998.