Práticas alimentares e as negociações identitárias na atualidade

  • Isabella Machado Altoé UFES
  • Elaine de Azevedo UFES

Resumo

Considerada uma prática universal, a culinária possui, como função primária, preparar o alimento para ser consumido, mas também apresenta um importante papel sociocultural na vida humana. Capaz de construir uma identidade nacional, a comida carrega a história de um povo e auxilia na construção de relações por meio da comensalidade. Por meio da culinária tradicional de um país, um indivíduo consegue preservar e atualizar a sua identidade, transmiti-la ao outro, e ainda fazer a manutenção de laços sociais. Observando a capacidade de indivíduos manterem suas tradições culinárias, percebe-se que a comida tradicional ou regional resiste mesmo em meio à mudanças nas práticas alimentares contemporâneas. Partindo da pesquisa de mestrado que investiga o papel da comida nas articulações de identidade de populações de refugiados do atual contexto geopolítico brasileiro, este artigo visa discutir o papel da culinária e da comensalidade nas negociações de  construção da identidade cultural na atualidade.

Referências

AZEVEDO, Elaine. Alimentação, sociedade e cultura: temas contemporâneos. Sociologias, Porto Alegre, ano 19, n. 44, 2017. pp. 276-307

BRILLAT-SAVARIN, J.A. A Fisiologia do Gosto. Companhia das Letras: São Paulo. 1995.

CONTRERAS, Jesús; GRACIA, Mabel. Alimentação, sociedade e cultura. Rio de janeiro: Editora Fiocruz, 2011.

CONTRERAS, J. Patrimônio e globalização: o caso das culturas alimentares. In: Canesqui, A. M. (org.). Antropologia e nutrição: um diálogo possível. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005. p. 129-146

FISCHLER, Claude. Commensality, society and culture. Social Science Information. V. 50, 2011. pp. 528 - 548.

FISCHLER, Claude. Gastro-nomie et gastro-anomie. Communications, v. 32, 1979. pp.189-210

FLANDRIN, Jean-Louis; MONTANARI, Massimo. História da Alimentação. São Paulo: Editora Estação Liberdade, 1998.

FREYRE, Gilberto. Açúcar - Uma sociologia do doce, com receitas de bolos e

doces do Nordeste do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1977.

LÉVI-STRAUSS, Claude.“Le triangle culinaire”. L’Arc, n. 26, 1965. pp. 19-29

MINTZ, Sidney W. “Comida e Antropologia: Uma Breve Revisão”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 16, no 47, 2001. Crossref, doi:10.1590/S0102-69092001000300002

MONTANARI, Massimo. Introdução. In Monatari, Massimo (org.). O mundo na cozinha: história, identidade, trocas. São Paulo: Editora Senac, 2009. pp.11-19

POULAIN, Jean-Pierre. The Sociology of Food: Eating and the Place of Food in Society. Bloomsburry. 2017. Não paginado.

POULAIN, Jean-Pierre ; PROENCA, Rossana Pacheco da Costa. O espaço social alimentar: um instrumento para o estudo dos modelos alimentares. Rev. Nutr. [online], vol.16, n.3, 2003. pp.245-256. Disponível em http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732003000300002.

RITZER, George. The McDonaldization of Society: An Investigation into the Changing Character of Contemporary Social Life. Newbury Park: Pine Forge Press, 1993