Construindo o nacionalismo à brasileira: os livros de cozinha do séc. XIX

  • Fernando Santa Clara Viana Junior UFES

Resumo

O nacionalismo, questão que ganhou amplo espaço para discussão no séc. XIX, já delimitara seus contornos no séc. XVIII. Consequência disso, no ano de 1882, o intelectual francês Ernest Renan proferiu na Sorbonne um importante discurso, intitulado “Que é uma nação?”. Tal exposto fora uma resposta ao que estava em pauta à época, qual seja, as ideias que concerniam à nação, convocando, assim, questões de grande pertinência. Assim, Renan buscou definir as balizas do que compunha – ou não – uma nação. Essa questão tomou conta do mundo ocidental, tendo ganhado espaço no Brasil principalmente após a independência, em 1822. Grandes foram os esforços para se criar uma nação brasileira; a emergência de livros de cozinha no período foram um dos artifícios utilizados. Dessa maneira, a partir da análise destes escritos, ensejamos compreender como se forjou o nacionalismo à brasileira, buscando identificar as influências de tais obras no bojo de um projeto nacional.

Publicado
2018-12-29
Seção
Anais da Semana de História