OS PROCESSOS INCLUSIVOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

  • Larissa Littig Francisco
  • Caroline de Andrade Souza

Resumo

Este artigo é o desdobramento de uma pesquisa do projeto de Iniciação Científica realizada na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) com objetivo geral de analisar como a UFES tem se organizado para a garantia do acesso e da permanência do sujeito público-alvo da Educação Especial no ensino superior. Especificamente procurou: investigar as diretrizes e/ou resoluções que expressam política de acesso e permanência, e identificar ações dos setores da UFES que contribuam para o processo de inclusão desses sujeitos na universidade. Esse é um tema que tem sido discutido recentemente e tem sua importância pelo avanço na inserção dos estudantes com deficiência e transtornos globais do desenvolvimento (TGD) no ensino superior. A metodologia utilizada assumiu uma perspectiva de pesquisa do tipo etnográfico, utilizando de observação participante, produção dos dados e entrevistas semiestruturadas. Tenho como campo empírico a UFES e os sujeitos que são profissionais que atuam em diferentes setores administrativos da universidade. Para a realização dessa pesquisa e para nos ajudar a compreender os dados produzidos, contamos com o referencial teórico e sociólogo Norbert Elias (1994), discutindo sobre os conceitos de sociedade, indivíduos e processos sociais. Com a realização desta pesquisa foi possível afirmar que a Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) está num processo de aprendizagem e desenvolvimento, com a finalidade de alcançar a garantia da inclusão dos alunos público-alvo da Educação Especial no ensino superior. Algumas ações positivas estão sendo realizadas, mas ainda falta muita coisa para efetivar o acesso e a permanência desse público de alunos.

 

Palavras chave: Educação Especial. Ensino Superior. Acesso e Permanência.

 

Publicado
2019-04-04
Seção
Comunicação Oral - Eixo 1 Do Direito à Educação: políticas de acesso, permanência e qualidade social