A RELAÇÃO PÚBLICO-PRIVADO NA EDUCAÇÃO ESPECIAL PRESENTE NOS PLANOS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO DA REGIÃO NORDESTE

  • Douglas Cristian Ferrari de Melo
  • Gabriela Antunes Maciel Oliveira
  • Mariana Saturnino de Paula

Resumo

Este artigo objetiva analisar a relação público-privado na Educação Especial nos Planos Estaduais de Educação (PEEs) dos estados da região do nordeste, a fim de subsidiar debates sobre as políticas educacionais adotadas pelos estados da referida região. A partir do referenciais de Gramsci e Vygotsky, buscamos compreender a elaboração do texto, assim como as suas implicações nas políticas educacionais, compreendendo a importância da escolarização da criança com deficiência na escola comum. Como metodológica, caracteriza-se de cunho qualitativo através da análise documental com o intuito de relacionar as estratégias traçadas nos PEEs e o contexto em que foram produzidas, que deu-se em torno dos eixos da gestão, formação de professores, atendimento educacional especializado – AEE, público-alvo e financiamento. Ficou evidente nos resultados o incentivo ao modelo de gestão da educação especial que financia e estimula a dependência a iniciativa privada para garantir a escolarização da criança com deficiência. Também demonstram que o contexto em que foi escrito o PNE 2014 interferiram na escrita dos PEEs, onde cada estado delimita suas estratégias conforme a sua intepretação da lei, o viés ideológico e o deslocamento e incorporação de responsabilidades no ambiente escolar.

 

Palavras- chave: PEEs Nordeste; pessoa com deficiência; Educação Especial

Publicado
2019-04-04
Seção
Comunicação Oral - Eixo 1 Do Direito à Educação: políticas de acesso, permanência e qualidade social