A INCLUSÃO ESCOLAR DO ALUNO AFRODESCENDENTE PÚBLICO ALVO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL

  • Francisco de Assis Xavier
  • Ione Aparecida Duarte Santos Dias

Resumo

O texto traz reflexões incipientes de pesquisa objetivando discutir a
inclusão do aluno afrodescendente e público alvo da Educação Especial nos
espaços escolares, e colaborar com o enfrentamento às práticas discriminatórias
e ao racismo nesses ambientes. Pauta-se em pressupostos metodológicos de
uma pesquisa qualitativa do tipo exploratória. A cultura hegemônica
eurocentrada direcionou e direciona por muito tempo qual é a proposta de
construção social e isso chega a todas as formas de construção, principalmente
a educacional, por onde grande parte dos sujeitos passa em determinada época
da vida e aqueles com deficiência são marginalizados nos processos
pedagógicos. Viver sob o jugo do preconceito é experiência rotineira dos negros
no Brasil e o racismo, invisibilizado pela corrente de pensamento eurocêntrica é
reforçado pela utópica Democracia Racial. Nesse sentido, ser afrodescendente
e deficiente é trazer a marca no corpo e na pele, e atrair para si os olhares da
discriminação a todo o momento e não raramente camuflados sob a fantasia de
proteção, muitas vezes no discurso da defesa por espaços ideais em escolas
especiais para melhor assistência, de estarem com seus pares e onde não
sofrerão discriminação. Os resultados iniciais sugerem que o racismo influencia
negativamente no processo de inclusão do estudante com deficiência, e a
resistência, um ingrediente fundamental ao alicerçamento de práticas que
privilegiam a equidade.
Palavras-chave: Negro; Deficiência; Resistência; Inclusão.

Publicado
2019-04-04
Seção
Pôster - Eixo 1 Do Direito à Educação: políticas de acesso, permanência e qualidade social