A ESCOLARIZAÇÃO NA PERSPECTIVA SÓCIO-HISTÓRICA DE UMA CRIANÇA COM SÍNDROME DE TREACHER COLLINS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

  • Dirlan de Oliveira Machado Bravo

Resumo

Este estudo tem como objetivo, entender como se dá a escolarização
de uma criança na Educação Infantil com a Síndrome de Treacher Collins (STC)1
também conhecida como Disostose Mandibulofacial, um distúrbio hereditário
caracterizado por anomalias craniofaciais e manifesta-se com diversas variáveis
clínicas. Ao pesquisarmos algumas síndromes no Grupo de Estudos e Pesquisas
em Educação e Inclusão passamos a ter consciência de que não estamos
apenas visualizando seres biológicos e medicalizados, mas como sujeito
sociocultural com uma história e valores específicos aos quais se deve estar
atento. A reflexão proposta parte da perspectiva sócio-histórica, tendo em
Vigotski a principal referência, além de seus colaboradores. A metodologia de
estudo a que se pretende desenvolver é a pesquisa-ação, já que esta nos
permite aproximarmos dos sujeitos aos quais vamos trabalhar, nos mostrando
que não estamos somente observando de forma objetiva, mas, podemos fazer
parte ativamente de todo o movimento que acontece no cotidiano escolar. Para
a realização deste estudo, foi escolhido como local escola de Educação Infantil
no município de Cariacica/ES. Serão sujeitos desta pesquisa uma criança com
Síndrome de Treacher Collins em processo de inclusão na escola comum,
professores, pedagogos, diretor, dentre outros. Como resultados parciais
constata-se que os estudos e materiais acerca da temática ainda são incipientes.

Palavras-chave: Inclusão. Síndrome de Treacher Collins. Perspectiva Sócio-
Histórica.

Publicado
2019-04-04
Seção
Pôster - Eixo 2 Propostas Curriculares e Práticas Pedagógicas