INTERAÇÃO ENTRE A CRIANÇA COM AUTISMO E O OUTRO NA BRINQUEDOTECA

  • Emilene Gomes Monteiro
  • Ivone Martins de Oliveira

Resumo

O presente trabalho versa sobre a análise dos modos de interação e
intervenção do brinquedista estabelecidos com a criança com autismo, em uma
brinquedoteca universitária. A análise dessas formas de interação e de
intervenção se coloca como pertinente e necessária, posto que as
particularidades desta criança configuram desafios para os profissionais que
atuam com ela. Diante deste fato, nos indagamos sobre como criar condições
que permitam à criança com autismo reconhecer o brinquedista como o outro
com o qual ela pode interagir e brincar, no espaço de uma brinquedoteca. Com
base no Referencial Teórico da Perspectiva histórico-cultural, o destaque ao
papel do outro no desenvolvimento infantil contribui para análise desta temática.
Trata-se de um estudo exploratório das formas de interação entre o brinquedista
e a criança com autismo, que utilizou a observação participante como
procedimento de pesquisa e, como instrumento de registro o diário de campo.
Observou-se que a criança diagnosticada com autismo, quando incentivada a se
inserir em um contexto social, como o da brinquedoteca mencionada neste
estudo, pode interagir dentro do que se espera, desde que haja acolhimento,
respeito e atenção às suas especificidades. A atenção às suas formas de
comunicação, olhar atento, compreensão de suas necessidades, ações pontuais
e paciência perseverante se configuram como diferenciais significativos, e que
contribuem de maneira incisiva a este processo.
Palavras-Chave: Criança. Autismo. Brinquedoteca.

Publicado
2019-04-04
Seção
Pôster - Eixo 6 Aprendizagem e Avaliação: diagnóstico, planejamento e gestão do trabalho pedagógico