NOTAS SOBRE EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PROPOSTA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL NO MUNICÍPIO DE VITÓRIA: BARREIRAS QUE SE TRANSFORMAM EM MUROS

  • Gildásio Macedo de Oliveira
  • Núbia Rosetti Nascimento Gomes

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar, a partir da perspectiva da sociologia figuracional de Norbert Elias, a estratégia da administração municipal de Vitória, em ampliar o tempo escolar para crianças da educação infantil, especialmente no que tange a participação/presença de crianças com deficiência no programa de tempo integral. Partimos nossa análise de um estudo1, realizado no ano de 2016, em um centro municipal de educação infantil, que presta atendimento em tempo integral a um grupo de 20 crianças, com faixa etária de 3 e 4 anos, o qual utilizou como método a pesquisa-ação. Os dados revelam que a implementação da política de educação integral, de certo modo, alça as barreiras que impedem a inclusão educacional a verdadeiros muros. De tal sorte que o público-alvo da educação especial é invisibilizado por esta modalidade de ensino, desde sua entrada quanto na sua permanência.

Referências

ARIÈS, Phillipe. História Social da criança e da família. Tradução de Dora Flaksman. 2. ed. Rio de Janeiro, 2006.

AQUINO, Juliana Maria de. A ampliação da jornada escolar melhora o desempenho acadêmico dos estudantes? Uma avaliação do programa escola de tempo integral da rede pública do estado de São Paulo. 2011. 76 f. Tese (Doutorado em Ciências) Universidade de São Paulo/Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, São Paulo, 2011.

ARAÚJO, Vânia Carvalho de. Tempo Integral na Educação Infantil: uma virtude pública? Cadernos de pesquisa em Educação – PPGE/UFES, Vitória, ES, ano 12, v. 19, n. 42, p. 13-28, jul./dez. 2015.

BONIN, LFR. Considerações sobre as teorias de Elias e de Vygotsky. In ZANELLA, AV., et al., org. Psicologia e práticas sociais [online]. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2008. pp. 19-27. ISBN: 978-85-99662-87-8. AvailablefromSciELO Books

COSTA, Valdeney Lima da.Mais tempo na/de escola: estudo sobre as experiências de ampliação da jornada escolar no município de Russas. 2011. 161 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do estado do Rio de Janeiro, 2011.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000

FIGUEIREDO, Verônica Cristina de Almeida e Silva de Barros. O projeto escola de tempo integral: currículo e práticas. Análise de seus desafios e possibilidades. 2011. 273 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, 2011.

VEIGA, Cyntia Greive. Crianças Pobres como Grupo Outsider e a Participação da Escola. Educação e Realidade [online]. 2017, vol.42, n.4, pp.1239-1256.

HEYWOOD, Colin. Uma história da infância: da Idade Média à época contemporânea no Ocidente. Porto Alegre: Artmed, 2004

MONARCHA. Carlos (Org.). Educação da infância brasileira: 1875-1983. Campinas: Autores Associados, 2001.

MOTA, Cristina Nascimento da.O programa de educação em Tempo Integral da Prefeitura Municipal de Vitória: contribuições para a avaliação de suas implicações na gestão escolar. 2013. 199 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2013.

MARCÍLIO, Maria Luiza. In FREITAS. Marcos Cézar de Freitas (Org.). História Social da Infância no Brasil. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2006

VEIGA-NETO, A; LOPES, M.C. Inclusão e Governamentalidade. Revista Educação e Sociedade. Campinas, v. 28, n 100. Especial outubro de 2007. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/es/v28n100/a1528100.pdf, Acesso em 28 de junho de 2018.

VELAME, Giovana. Estudantes público-alvo da Educação Especial na Educação em Tempo Integral: um estudo em Vitória-ES ,2015, 149 f. Dissertação de mestrado em Educação. Programa de pós-graduação em Educação, Universidade Federal do Espirito Santo, Vitória, 2015.

VITÓRIA, Prefeitura Municipal de. Documento Programa Educação em Tempo Integral, 2010.

______. Diário Oficial de 14 de março de 2016. Decreto 16.637, institui o Programa Educação Ampliada na modalidade “Educação Integral com jornada ampliada” na rede municipal de ensino de Vitória.

______. Programa Educação em Tempo Integral: praticando políticas integradas. Secretaria de Educação, 2009.

______ Lei 8.829, de 25 de junho de 2015. Plano Municipal de Educação. Prefeitura Municipal de Vitória.

______. Lei n.º 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Brasília: Casa Civil 2014. Disponível em: www.planalto.gov.br. Acesso em: 30 jun. 2016.

Publicado
2019-04-04
Seção
Comunicação Oral - Eixo 1 Do Direito à Educação: políticas de acesso, permanência e qualidade social