Punição e produção: breves reflexões sobre o trabalho prisional

Luana Reis Andrade

Resumo


Este trabalho traz uma breve análise sobre o acesso da população carcerária do Rio de Janeiro em atividades laborativas, durante o cumprimento da pena. Para isso, será abordada a crescente criminalização das expressões da “questão social”, traduzida em ações de controle e repressão aos pobres e evidenciada pelo perfil predominante dos presos revelado pelas estatísticas: jovens, negros, com baixa escolaridade, autores de crimes contra o patrimônio ou tráfico de drogas. Tal perfil não se constitui ao acaso, mas é fruto de determinações históricas e sociais. O crescente processo de criminalização é responsável pelo aumento alarmante da população prisional, que é utilizado como justificativa para as ações de privatização e terceirização. 

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.