Futuro roubado: a história não contada dos agricultores atingidos pela construção da barragem de itá/sc

Carmem Regina Giongo, Jussara Maria Rosa Mendes

Resumo


Milhares de barragens foram construídas em todo o mundo ao longo das últimas décadas afetando significativamente os recursos ambientais e sociais existentes. Diante desses elementos e tomando-se como foco o caso da hidrelétrica de Itá, em Santa Catarina/Brasil, este estudo teve o objetivo de compreender quais foram e como se deram as transformações nos processos de trabalho e de vida dos agricultores atingidos pela construção da hidrelétrica. Trata-se de uma tese de doutorado com delineamento exploratório descritivo, e metodologia qualitativa. Participaram da pesquisa 43 pessoas, sendo 3 vereadores, 4 comerciantes, 1 Diretor da Hidrelétrica e 35 agricultores atingidos pela construção da hidrelétrica de Itá/SC. As observações tiveram início em fevereiro de 2016 e foram finalizadas em agosto do mesmo ano. Os dados foram analisados através de análise de conteúdo. A análise dos dados preliminares apontou para a extrema vulnerabilidade e sofrimento social dos agricultores atingidos pelo empreendimento. Após 16 anos do início da operação da hidrelétrica a população que permaneceu residindo no entorno do reservatório vivencia o isolamento social, a falta de infraestrutura como estradas, energia e oportunidades de trabalho. Diante disso, entende-se que a construção de uma hidrelétrica, historicamente alicerçada no discurso do desenvolvimento e mais recentemente nos discursos da energia limpa, renovável e de baixo custo, se constitui como um desastre ambiental planejado, programado, legitimado pelo poder público e privado, que produz profundos e duradouros impactos socioambientais estruturais e irreparáveis nos modos de vida e no trabalho das populações atingidas. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.