Seresta, de Francisco Mignone, para fagote e piano: considerações interpretativas

Aloysio Moraes Rego Fagerlande, Ana Paula da Matta Machado Avvad

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo principal o estudo de questões interpretativas da Seresta para fagote e piano, servindo de base para a preparação da sua performance. A peça foi escrita originalmente para violoncelo, em 1935, e posteriormente transcrita pelo próprio Mignone para fagote, em 1983. A partir de uma revisão musicográfica dos manuscritos autógrafos, baseada em Figueiredo (2000), realizou-se um estudo comparativo das partes de violoncelo/fagote e orquestra/piano. As principais conclusões apontaram algumas possibilidades no que diz respeito à articulação e variedade timbrística.


Palavras-chave


Francisco Mignone. Fagote. Piano. Práticas Interpretativas

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.