HISTÓRIAS, NARRATIVAS E CIRCULARIDADE DE IDEIAS: OLHARES SOBRE O ESPÍRITO SANTO NO SÉCULO XIX

Levy Soares Silva

Resumo


No século XIX a Província do Espírito Santo compunha o mosaico do Brasil nação que havia sido
formado, envolta em toda a sua complexidade, tornou-se alvo daqueles que queriam descortinar o seu território,
poderes e identidades. Os estrangeiros, e mesmo os nacionais, que excursionaram pelo território espíritossantente
praticavam a mobilidade humana e, ao mesmo, tempo a circularidade de ideias, uma vez que, traziam consigo
ideias prévias e as confrontavam com a realidade que encontravam. Nesse sentido, nos propomos a analisar duas
significativas narrativas sobre o Espírito Santo, a saber, O Espírito Santo em princípios do século XIX escrito por
D. José Caetano da Silva Coutinho durante suas visitas pastorais à província nos anos de 1812 e 1819, e Viagem
pelos trópicos brasileiros: Província do Espírito Santo escrito pela princesa Teresa da Baviera aquando de sua visita
à província em 1888. Sendo ele nacional e ela estrangeira, compreendemos a possibilidade de analisar pluralmente
as ideias que tinham e as ideias que registraram sobre o Espírito Santo no primeiro e no último quartel do século
XIX, respectivamente, por meio da metodologia da análise do discurso, considerando que ideias se articulam, se
significam, são transmitidas e recebidas, compondo um processo mais amplo e complexo, qual seja, a produção de
sentido, o qual almejamos alcançar. São três fundamentos nos quais nos amparamos nesse trabalho, em primeiro
lugar está a qualidade das narrativas com as suas ricas descrições. Em segundo lugar, os autores encontram-se
entre dois mundos, pois não pertencem ao ambiente que visitam. E em terceiro lugar de natureza teórica, a validade
em explorar essas fontes está na operacionalização do conceito de escala em estudos históricos, formulado por
Jacques Revel (1998), pelo qual a análise de algo muito particular possibilita obter elementos reveladores que
conduzem a observação mais ampla do processo social e cultural.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.