EDUCAÇÃO E TELEVISÃO: CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E EMANCIPAÇÃO HUMANA NUMA PERSPECTIVA FREIRENA

Rafael Bertoldi dos Santos, Jaqueline Maissiat, Deane Monteiro Vieira Costa

Resumo


O presente artigo faz parte dos primeiros passos numa pesquisa do Mestrado Profissional em Ensino em Humanidades do Instituto Federal do Espírito Santo. Nosso trabalho pretende analisar como produção televisiva e como seus indicadores sociais poderão conduzir um debate reflexivo e uma postura crítica por parte sujeito/espectador, no contexto escolar, na perspectiva de educação libertadora de Paulo Freire. A proposta inclui estudo teórico (dissertação) e prático (produção e aplicação de produto educacional validado numa formação de professores) e busca auxiliar os professores no desenvolvimento de um pensamento crítico/reflexivo, tanto deles como de seus alunos, para a resolução e enfrentamento de problemas ligados a emancipação e humanização do sujeito/espectador.

 

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, Aidil de Jesus Paes de; LEHFELD, Neide Aparecida de Souza. Projeto de pesquisa: propostas metodológicas. Petrópolis: Vozes, 1991.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é método Paulo Freire. 1ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1981.

______. Pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 1983.

______. A participação da pesquisa no trabalho popular. In: BRANDÃO, Carlos Rodrigues (org.). Repensando a pesquisa participante. 3ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios Contínua. Brasília: IBGE, 2018. Disponível em Acesso em 24 jun. 2018.

______. Secretaria Especial de Comunicação Social. Pesquisa brasileira de mídia 2016: hábitos de consumo de mídia pela população brasileira. Brasília: Secom, 2016. Disponível em Acesso em 24 jun. 2018.

CASHMORE, Ellis. ...E a televisão se fez! São Paulo: Summus, 1998.

FAZENDA, Ivani A. Interdisciplinaridade: História, teoria e Pesquisa. São Paulo: Papirus, 1994.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Televisão e educação: fruir e pensar a TV. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

FONSECA, João José Saraiva da. Metodologia da pesquisa científica. Ceará: Universidade Estadual do Ceará, 2002.

FREIRE, Paulo. A máquina está a serviço de quem? Revista BITS, São Paulo, v. 1, n. 7, p. 6, 2001

______. Alfabetização de adultos: método Paulo Freire. Curitiba: Associação Difusora de Treinamentos e Projetos Pedagógicos (Aditepp), 1987.

______. Criando métodos de pesquisa alternativa. In: BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Pesquisa Participante. São Paulo: Brasiliense, 1983.

______. Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. 3ª edição. São Paulo: Moraes, 1980.

______. Educação como prática da liberdade. 15ª edição. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1984.

______. Educação e Mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

______. Extensão ou comunicação? 10ª edição. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1977.

______. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 15ª edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008.

______. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. 7ª reimpressão. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

______. Pedagogia do oprimido. 18ª edição. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1988.

FREIRE, Paulo e GUIMARÃES, Sérgio. Educar com a mídia: novos diálogos sobre educação. Rio de Janeiro: Paz e Terra (Edição Digital), 2013.

JAMBEIRO, Othon. A TV no Brasil do século XX. Salvador. EDUFBA, 2001.

JAPIASSU, Hilton. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro, Imago, 1976.

JUNQUEIRA, Lília. Desigualdades Sociais e Telenovelas: Relações Ocultas entre Ficção e Reconhecimento. São Paulo: Annablume, 2009.

MARTÍN-BARBERO, Jesús; REY, German. Os exercícios do ver. Hegemonia audiovisual ficção televisiva. São Paulo: Senac, 2001.

______. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: UFRJ, 1997.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2001.

MINAYO, Maria Cecília de Souza; SANCHES, Odécio. Quantitativo-qualitativo: oposição ou complementaridade? Caderno Saúde Pública, Rio de Janeiro, p. 239-262, jul./set. 1993. Disponível em Acesso em 03 jun. 2018.

MORAN, José Manuel. Como ver televisão: leitura crítica dos meios de comunicação. São Paulo: Paulinas, 1991.

______. Técnicas para análise da televisão. Série Idéias, n.9, p. 41-49. São Paulo: FDE, 1994. Disponível em Acesso em 23 jun. 2018.

NAPOLITANO, Marcos. Como usar a televisão na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2007

PILLAR, Analice Dutra. Criança e televisão: leituras de imagens. Porto Alegre: Mediação, 2001.

RIBEIRO, Ana Paula Goulart; SACRAMENTO, Igor; ROXO; Marco (Org.). História da televisão no Brasil. São Paulo: Contexto, 2010.

RÖHR, Ferdinand. (Org.). Diálogos em Educação e Espiritualidade. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2010.

______. Educando o Profissional Reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SOUZA, José Carlos Aronchi de. Gêneros e Formatos na Televisão Brasileira. São Paulo: Summus, 2004.

THIOLLENT, Michel Jean Marie. Notas para o debate sobre pesquisa-ação. In: BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Repensando a pesquisa participante. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1984.

THOMPSON, John B. A Mídia e a Modernidade. Uma Teoria Social da Mídia. Petrópolis: Vozes, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.