Histórico do periódico

Uma das marcas da REEL - Revista Eletrônica de Estudos Literários, criada em 2005 como um periódico anual do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL), da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), era a de veicular por meio eletrônico a produção inédita ou de difícil circulação de seus professores e pesquisadores, além de trabalhos produzidos no âmbito de Instituições Universitárias, dentro ou fora do país.

Paralelamente, o PPGL publicava a Contexto, periódico impresso desde 1998. Considerando a orientação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), de que todos os periódicos dos Programas de Pós-Graduação devem publicar seus títulos em meio impresso e eletrônico, o Colegiado do PPGL rediscutiu sua linha editorial. O resultado foi a proposta de que a revista Contexto, mais antiga, passasse a publicar semestralmente, a partir de 2010, trabalhos de mestres e doutores, além de pesquisadores renomados, e a REEL passasse a publicar, também semestralmente, trabalhos de pós-graduandos.

Assim redefinida, a REEL passou a editar dois números por ano, com as mesmas características (editores, conselho editorial, ISSN, leiaute etc.), composta por três seções: Arquivo (textos-chave de e sobre literatura [poéticas, depoimentos, entrevistas e outros documentos], preferencialmente de difícil circulação, ou seja, publicados há muito tempo, pouco divulgados ou esgotados); Artigos (textos inéditos, assinados por pós-graduandos na área de estudos literários e afins); Resenhas (textos críticos sobre publicações feitas até cerca de dois anos antes da edição do número da revista). Assim sendo, o número 6 deste periódico iniciou uma nova Série (2), com a colaboração de mestrandos, doutorandos e pós-doutorandos, além de pesquisadores convidados.

A finalidade da REEL é levar aos usuários de Internet as pesquisas em desenvolvimento de pós-graduandos nacionais e estrangeiros nas mais variadas perspectivas de leitura sobre a Literatura ou/e outro discurso a ela vinculado. Acreditamos, com isso, na possibilidade de, ao adentrar o circuito virtual, remanejar, promover e incrementar um maior número de acessos ao pensamento sobre textos literários diversos e suas interface.