Contribuição à Crítica da Economia Política da Contrarreforma Psiquiátrica Brasileira

Autores

  • Pedro Henrique Antunes da Costa Universidade de Brasília
  • Kíssila Teixeira Mendes Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.18315/argumentum.v12i2.28943

Resumo

O artigo esboça uma crítica da economia política da atual Contrarreforma Psiquiátrica (CP) brasileira. Recorremos a trabalhos sobre a economia política da Reforma Psiquiátrica (RP), dados orçamentários e de implantação das políticas em saúde mental (SM) de 2001 a 2019. A CP é um processo de enxugamento orçamentário, remanicomialização e mercantilização, com: retorno do Hospital Psiquiátrico às políticas, centralidade das Comunidades Terapêuticas na área de álcool e outras drogas, aumento no repasse a tais instituições e reversão da tendência de fechamento de leitos psiquiátricos e investimento em ações extra-hospitalares. Trata-se de uma descontinuidade na continuidade do desenvolvimento da RP; uma expressão na SM da dinâmica neoliberal, que se intensifica em nossa realidade a partir de 2015, recrudescendo a expropriação e espoliação da classe trabalhadora e do Estado pelo capital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Henrique Antunes da Costa , Universidade de Brasília

Psicólogo. Doutor em Psicologia. Professor do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília. (UnB, Brasília (DF), Brasil).

Kíssila Teixeira Mendes, Universidade Federal de Juiz de Fora

Psicóloga. Mestre em Psicologia. Doutoranda em Psicologia na Universidade Federal de Juiz de Fora. (UFJF, Juiz de Fora, Brasil)

Downloads

Publicado

2020-08-29

Como Citar

Antunes da Costa, P. H., & Mendes, K. T. (2020). Contribuição à Crítica da Economia Política da Contrarreforma Psiquiátrica Brasileira. Argumentum, 12(2), 44–59. https://doi.org/10.18315/argumentum.v12i2.28943

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)