Aglomeração legal e morte indeterminada: economia prisional e pandemia da COVID-19

Autores

  • Ionara dos Santos Fernandes Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.47456/argumentum.v13i1.31124

Resumo

O texto tem por objetivo problematizar os impactos de algumas medidas estatais de enfrentamento a pandemia ao novo coronavírus no sistema prisional brasileiro. O diálogo é produzido com base nas literaturas temáticas contemporâneas e nas reflexões coletivas e documentos apresentados pelo Mecanismo Estadual de Prevenção e Combate à Tortura do Rio de Janeiro. Os dados revelam que as estratégias adotadas pelos órgãos que compõem o sistema de justiça criminal e o sistema prisional potencializam a proliferação da Covid-19 entre presos e presas, promovendo a política de morte do estado e fortalecendo ações privadas lucrativas fundamentais a reprodução do neoliberalismo. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ionara dos Santos Fernandes, Universidade Federal Fluminense

Bacharel em Serviço Social - UFF (2014), Bacharelanda em Direito - UCAM, Mestranda no Programa de Pós-graduação em Sociologia e Direito - UFF, linha de Segurança Pública e Administração Institucional de Conflito.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Como Citar

Fernandes, I. dos S. (2021). Aglomeração legal e morte indeterminada: economia prisional e pandemia da COVID-19. Argumentum, 13(1), 108–122. https://doi.org/10.47456/argumentum.v13i1.31124