A organização tópica no gênero artigo de opinião

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/cl.v15i31.35496

Palavras-chave:

Organização tópica, Tópico discursivo, Gênero artigo de opinião

Resumo

Inserido no quadro teórico-metodológico da Gramática Textual-Interativa (JUBRAN, 2015), este artigo trata do reconhecimento de uma unidade da língua fundamentalmente sistemática no âmbito da organização do texto. Para tal, investiga a Organização Tópica em artigos de opinião publicados em jornais, com o objetivo de avaliar se, nesse gênero, a organização intertópica e a organização intratópica, caracterizam-se como um processo regular, ou se é um processo fundamentalmente inconstante. A metodologia adotada segue o método da análise tópica, que presume a análise textual com base na categoria do tópico discursivo e demonstra que tanto no domínio da organização intertópica quanto no contexto da organização intratópica, os artigos de opinião, particularizam-se pela presença de traços altamente regulares passíveis de serem descritos em termos de organização tópica. Esses traços de regularidades permitem sustentar que o texto é fundado em propriedades constitutivas próprias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleide Vilanova Hanisch, Universidade Federal do Acre (UFAC)

Doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Estadual Paulista (Unesp/Ibilce) – câmpus São José do Rio Preto; mestra em Letras pela Universidade Federal do Acre (UFAC); graduada em Letras Português pela Universidade Federal do Acre (UFAC). É professora do curso de Letras Português e do curso de Pedagogia da Universidade Federal do Acre (UFAC), câmpus Floresta, Cruzeiro do Sul.

Referências

CAVALCANTE, M. M. et al. O texto e suas propriedades: definindo perspectivas para análise. Revista (Con)Textos Linguísticos, Vitória, v. 13, n. 25, p. 25-39, 2019.

JUBRAN, C. C. A. S. Inserção: um fenômeno de descontinuidade na organização tópica. In:

CASTILHO, A. T. (Org.). Gramática do português falado. v. III. Campinas: Editora da Unicamp, 1993. p. 241-259.

JUBRAN, C. C. A. S. Introdução. In: JUBRAN, C. C. S. A. (Org.). Gramática do português culto falado no Brasil. v. 1. Campinas: Editora da Unicamp, 2015a. p. 27-36.

JUBRAN, C. C. A. S. Tópico Discursivo. In: JUBRAN, C. C. S. A. (Org.). Gramática do português culto falado no Brasil. v. 1, Campinas: Editora da Unicamp, 2015b. p. 89-132.

JUBRAN, C. C. A. S. Uma gramática textual de orientação interacional. In: CASTILHO, A. T. et al. (Org.). Descrição, história e aquisição do português brasileiro. Campinas: Pontes, 2007. p. 312-327.

PENHAVEL, E. Estudo do processo de estruturação interna de Segmentos Tópicos Mínimos em diferentes gêneros textuais. Relatório Final de Pesquisa. São José do Rio Preto, Universidade Estadual Paulista, 2017.

PENHAVEL, E.; DINIZ, T. C. G. O processo de estruturação interna de Segmentos Tópicos Mínimos em Cartas de Leitores mineiras do início do século XXI. Revista (Con)Textos Linguísticos, Vitória, v. 8, n. 11, p. 21-38, 2014.

PENHAVEL, E. Marcadores Discursivos e Articulação Tópica. 2010. 168f. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

PINHEIRO, C. L. Estratégias textuais-interativas: a articulação tópica. Maceió: EDUFAL, 2005.

Downloads

Publicado

2021-10-03