Intertextualidade multimodal como estratégia argumentativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/cl.v15i31.35681

Palavras-chave:

Multimodalidade, Intertextualidade, Argumentação, Meme

Resumo

A intertextualidade, considerada um dos grandes temas a que se têm dedicado tanto os pesquisadores da Linguística Textual quanto os estudiosos da Análise do Discurso, é um recurso linguístico-discursivo que se refere à construção de novos textos e/ou de novos sentidos a textos que já foram construídos anteriormente, podendo, pois, figurar como importante estratégia argumentativa. À luz da Teoria Semiolinguística do Discurso (CHARAUDEAU, 2009; 2016; 2018), que defende a existência de um sujeito intencional que perpassa a relação linguagem-mundo, associada a alguns pressupostos da Teoria Multimodal da Comunicação (KRESS; VAN LEEUWEN, 2006 [1996]), que defende a ideia de que os sentidos são produzidos por diversos modos semióticos, propomos analisar a intertextualidade multimodal constitutiva do gênero meme. Para tanto, nosso corpus de análise é formado por seis memes sobre questões políticas nacionais da contemporaneidade, cotejados da seção de imagens do Google. Análises qualitativas pautadas simultaneamente no contexto e no cotexto nos levaram a concluir que a mecânica argumentativa engendrada para a produção desse gênero mobiliza o conhecimento de outros textos e, muitas vezes, a leitura de imagens e palavras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Heiderich Marchon, Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)

Possui graduação em Letras – Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa – pela Faculdade de Filosofia Santa Dorotéia, mestrado e doutorado em Letras Vernáculas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente, desenvolve pesquisa de pós-doutorado em Estudos da Linguagem na Universidade Federal Fluminense sob a supervisão da Professora Doutora Nilza Barrozo Dias. É Professora Adjunta do Departamento de Línguas e Letras da Universidade Federal do Espírito Santo e professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Linguística da mesma universidade. É membro do GT da ANPOLL Linguística de Texto e Análise da Conversação. É lider do grupo PorUs-UFES (CNPq-UFES) e atua como pesquisadora do CIAD-Rio (CNPq-UFRJ) e do Grupo Protexto (CNPq-UFC). Trabalha, principalmente, com os seguintes temas: argumentação; discurso midiático; multimodalidade; articulação de orações.

Carlos Eduardo Nunes Garcia, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

Possui graduação em Letras – Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa e mestrado em Letras Vernáculas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, instituição em que atualmente cursa o doutorado. É professor do CEFET/MG, campus Leopoldina. Tem interesse na área de sintaxe e na área de linguagem e tecnologia, especialmente na relação entre multimodalidade e ensino.

Referências

ADAM, J. M. Textos: tipos e protótipos. São Paulo: Contexto, 2019.

AUTHIER-REVUZ, J. Heterogeneidade (s) enunciativa (s). Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, n. 19, p. 25-42, 1990.

AMOSSY, R. É possível integrar a argumentação na análise do discurso? Problemas e desafios. Trad. Rosalice Pinto, Mariza Angélica Paiva Brito e Meire Virgínia Cabral Gondim. ReVEL, edição especial, v. 14, n. 12, p. 165-190, 2016.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BARTHES, R. O óbvio e o obtuso: ensaios críticos III (L. Novaes, Trad.). Rio de Janeiro, RJ: Nova Fronteira, 1990.

BENVENISTE, E. Problemas de linguística geral II. 2. ed. Campinas: Pontes Editores, 2006.

CAVALCANTE, M. M.; CUSTÓDIO FILHO, V. Revisitando o estatuto do texto. Revista do GELNE, v. 12, n. 2, p. 56-71, 2010.

CHARAUDEAU, P. Linguagem e discurso: modos de organização. São Paulo: Contexto, 2009.

CHARAUDEAU, P.; MAINGUENEAU, D. Dicionário de Análise do Discurso. São Paulo: Contexto, 2008.

CHARAUDEAU, P. A argumentação em uma problemática da influência. ReVEL, edição especial, v. 14, n. 12, 2016.

CHARAUDEAU, P. Compreensão e interpretação: Interrogação em torno de dois modos de apreensão do sentido nas ciências da linguagem. Site Ciad-Rio, 2018. Disponível em: https://ciadrj.letras.ufrj.br/. Acesso em: 10 jun. 2021.

ELIAS, V. M. Estudo do texto, multimodalidade e argumentação: perspectivas. ReVEL, edição especial, v. 14, n. 12, 2016.

GARCIA, C. E. N. Intertextualidade multimodal. Diacrítica, v. 34, n. 1, p. 122-134, 2020. Disponível em: http://diacritica.ilch.uminho.pt/index.php/dia/article/view/352. Acesso em: 31 mai. 2021.

KOCH, I. V. A inter-ação pela linguagem. 10. ed. São Paulo: Contexto, 2008.

KOCH, I. V.; ELIAS, V. M. Ler e compreender: os sentidos do texto. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2010.

KRESS, G.; VAN LEEUWEN, T. Reading images: the grammar of visual design. London: Routledge, 2006 [1996].

MARCHON, A. H. GARCIA, C. E. N. Intertextualidade multimodal como estratégia argumentativa: uma leitura de memes do Facebook. In: Pré-Anais da III Jornada Internacional Semântica e Enunciação, 2021, Campinas. Anais eletrônicos… Campinas, Galoá, 2021. Disponível em: https://proceedings.science/jise-2021/papers/intertextualidade-multimodal-como-estrategia-argumentativa---uma-leitura-de-memes-do-facebook. Acesso em: 27 abr. 2021.

MENDES, E. Análise do Discurso e iconicidade: uma proposta teórico-metodológica. In: MENDES, E. (Coord.); MACHADO, I. L.; LIMA, H.; LYSARDO-DIAS, D. (Org.). Imagem e discurso. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2013. p. 125-156.

SANTAELLA, L. Leitura de imagens (Coleção Como eu ensino). São Paulo, SP: Melhoramentos, 2012.

SANTOS, W. Q. A gramática das construções mêmicas de internet no português do Brasil: uma interface da gramática sistêmico-funcional e da gramática do design visual. 2020. 186 f. Doutorado (Tese) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

SILVA, W. P.; MARCHON, A. H. Argumentação multimodal: uma proposta teórico-metodológica. Revista Acta Scientiarum Language and Culture. Maringá, 2021 (no prelo).

Downloads

Publicado

2021-10-03