Pelas páginas do Almanak Laemmèrt: colégios para a elite feminina na sede da Corte (1844, 1867, 1869)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22535/cpe.v22i52.28253

Resumo

Resumo

Investigar os colégios que se anunciavam no Almanak Lemmèrt nos anos de 1844, 1860 e 1869, para a elite feminina na sede da Corte é o objetivo desta pesquisa. A investigação pretende confrontar a realidade social com a teoria histórica expressa por Elias (1994) de interpendência entre indivíduos e  sociedade para explicar a necessidade da publicidade em período onde a mulher se educava para tornar-se mais “adequada” às tarefas que o casamento que atribuíam: cuidar da casa e dos filhos e entreter os convidados do marido. Ressalta o papel de “guarda” da mulher pelas instituições educativas às alunas como item relevante para a escolha do educandário formador. Indica as disciplinas que deveriam ser apreendidas e os cuidados com a educação religiosa que se conformam ao papel submisso e invisibilizados  da mulher na sociedade, frente ao sistema patriarcal vigente no século XIX. O artigo pretende minimizar lacuna sobre o estudo das escolas privadas, pouco estudada na historiografia da Educação.

 

Palavras- Chave: Colégios para a elite feminina; Almanak Laemmèrt; Papel da mulher no século XIX.

 

ALMANAK LAEMMÈRT PAGES:

SCHOOLS FOR THE FEMALE ELITE IN COURT HEADQUARTERS

(1844, 1867, 1869)

 

 

Investigating the colleges advertised at the Almanak Lemmèrt in 1844, 1860, and 1869 for the female elite at Court headquarters is the purpose of this research. The research aims to confront social reality with the historical theory expressed by Elias (1994) of interpendence between individuals and society to explain the need for advertising in times when women were educated to become more “adequate” to the tasks that the marriage They attributed: taking care of the house and children and entertaining the guests of the husband. It emphasizes the role of “guarding” women by the educational institutions to the students as a relevant item for choosing the educating student. It indicates the disciplines that should be apprehended and the care with religious education that conform to the submissive and invisible role of women in society, facing the patriarchal system in force in the nineteenth century. The article intends to minimize the gap about the study of private schools, little studied in the historiography of Education.

 

Keywords: Colleges for the female elite; Almanak Laemmèrt; Role of women in the nineteenth century.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heloisa Helena Meirelles dos Santos, UERJFAETEC

Doutora em Educação (UERJ)
Pós Doutorado em Educação (UERJ)

Graduada em História (UERJ) e Pedagogia (UERJ)
Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Instituições, Práticas Educativas e História PROPEd/UERJ  (registro CNPq/FAPERJ Área de Pesquisa:Memória e Cultura) 

Referências

ALGRANTI, Leila Mezan. Educação feminina: vozes dissonantes no século XVIII e prática colonial. In: MONTEIRO, John Manuel & BLAJ, Ilana (orgs.). História & Utopias. São Paulo: ANPUH, 1996.

AMARAL, Isabela Guimarães Rabelo do. Inferiorizando mulheres no período imperial brasileiro: a influência do Direito. Anais. XXVI Simpósio Nacional de História. Associação Nacional de História (ANPUH) São Paulo, julho 2011.

ARIÈS, Phillippe. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1981.

BASTOS, Maria Helena Câmara. História da Educação ASPHE/FaE/UFPel. Pelotas (1): Abril, 1997 p. 115-133.

_____. Reminiscências de um tempo escolar. Memórias do professor Coruja Revista Educação em Questão, Natal, v. 25, n. 11, p. 157-189, jan./abr. 2006a.

_____. A escola e o ensino em Porto Alegre, RS: Antiqualhas do Professor Coruja. UNIrevista, v. 1, n. 2, Abril de 2006b, p.1-17.

BIBLIOTECA NACIONAL. Almanak Laemmèrt de 1844, 1860 e 1869.

BOTREL, Jean-François. Catálogo Almanak dos almanaques. In: MEYER, Marlyse. Do almanak aos almanaques. Cotia: Ateliê Editorial, 2001.

D’INCAO, Maria Ângela. Mulher e família burguesa. In: PRIORE, Mary Del (org.); BASSANEZI, Carla (coord. de textos). História das mulheres no Brasil. 7. ed. São Paulo: Contexto, 2004.

DURKHEIM, Emile. A evolução pedagógica. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: uma história dos costumes. Tradução de Ruy Jungmann. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1994.

FARIAS, Ismael; MELO, Débora Vilar; OLIVEIRA, Hector; SILVA, Víbio. A importância das primeiras tipografias no Brasil para a construção da memória e do patrimônio social. Anais do XXXV Encontro Regional de Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação (ENEBD). Belo Horizonte: julho de 2012.

MACEDO, Joaquim Manuel de. Mulheres Célebres. Obra Adoptada pelo Governo Imperial para leitura nas escolas de instrução primária do sexo feminino do Município da Corte. Rio de Janeiro: B. L. Garnier Livreiro-Editor, 1878.

MACHADO DE ASSIS. Como se inventaram os almanaques. Disponível em: https://machadodeassis.ufsc.br/obras/contos/avulsos/CONTO,%20Como%20se%20inventaram%20os%20almanaques,%201890.htm. Acesso em: 08 set. 2019.

MORAES, Aline. Educação Particular e Publicidade no Almanak Laemmèrt (1844/1859). Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, 2007.

RITT, Caroline Fockink. A conquista da educação pelas mulheres na História do Brasil, a violência doméstica praticada contra a mulher e a aplicação do art. 41 da Lei Maria da Penha, para a punição do agressor da violência de gênero. Revista do Curso de Direito da FSG, ano 6, n. 12, jul./dez. 2012, p. 41-53.

RODRIGUES, Cláudia. Lugares dos Mortos na cidade dos vivos: tradições e transformações fúnebres no Rio de Janeiro. Coleção Biblioteca Carioca, vol. 43. Rio de Janeiro: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro / Secretaria Municipal de Cultura / Departamento Geral de Documentação e Informação Cultural / Divisão de Editoração, 1997.

SANTOS, Heloisa Helena Meirelles dos. Congregação da Escola Normal: da legitimidade outorgada à legitimidade (re)conquistada (1880-1910). Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: UERJ, 2011.

SILVA, Alexandra Lima da. Entre memórias e experiências: ensino e mercado editorial de livros didáticos de História do Brasil. São Paulo: Edições Verona, 2008.

TANURI, Leonor Maria. História da formação de professores. In: Revista Brasileira de Educação. ANPED / Autores Associados, n. 14 (Especial) maio/jun./jul./ago. 2000. p. 61-88.

VASCONCELOS, Maria Celi Chaves. Uma mulher educada no oitocentos: a escrita feminina no Diário da Viscondessa de Arcozelo. Revista Educação em Questão, Natal, v. 53, n. 39, set./dez., 2015. p. 104-131.

_____. Cadernos de História da Educação, v. 17, n. 2, mai.-ago. 2018. p. 285-308.

Downloads

Publicado

2020-11-11