A MUDANÇA NO ECOSSISTEMA JORNALÍSTICO E O DESERTO DE NOTÍCIAS NO ESPÍRITO SANTO

Autores

  • Rita Benezath Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Ruth Reis Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Resumo

Apresentamos as ideias preliminares de um projeto de pesquisa que busca investigar os hábitos de obtenção de informação sobre a atualidade dos moradores de municípios do Espírito Santo considerados deserto de notícias e os impactos sobre o exercício da cidadania nas cidades pequenas e médias mais afastadas do conglomerado de mídia da capital. Busca-se refletir sobre conceitos como deserto de notícias, jornalismo local e comunicação comunitária, a fim de construir uma paisagem teórica que permita refletir sobre as mudanças do ecossistema de comunicação sobre o acesso às notícias. Também colocamos em cena as mídias sociais como território informacional, visto que se tornaram uma forma de compartilhar informações, vivências e opiniões, que impactam significativamente o campo e o fazer jornalístico. O referencial teórico foi elaborado com base nas obras de Milton Santos, Augusto Franco, Cicilia Peruzzo, Cândida Emília Lemos, Maria José Baldessar, Pedro Dellagnello, Raquel Recuero, Reinaldo Pereira e Suzana Barbosa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita Benezath, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Mestranda do curso de Pós-graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (Póscom/UFES).

Ruth Reis, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Professora orientadora - Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (Póscom/UFES).

Referências

BALDESSAR, M; DELLAGNELLO, P. Jornalismo hiperlocal e o desafio da criação de uma agenda noticiosa internacional plural. Intexto, Porto Alegre, n. 28, p. 53-62, jul. 2013. Disponível em < https://seer.ufrgs.br/intexto/article/view/41161/26091>.CARVALHO, J.M. de;

CARVALHO, A. M. G. de. Do hiperlocal aos insumos criativos: as mutações do jornalismo na contemporaneidade. In: BRONOSKY, M.;

CARVALHO, J. M (orgs). Jornalismo e Convergência. Cultura Acadêmica, 2014, p. 69-88.

FRANCO, Augusto. Pobreza & desenvolvimento local. Brasília: Aed, 2002.

LEFEBVRE, Henri. A produção do espaço. Paris: Éditions Anthropos, 2000

LEMOS, C. E. B.; PEREIRA, R. M. Jornalismo hiperlocal no contexto multimídia: um relato da experiência do jornal-laboratório Contramão Online. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. XVI Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – São Paulo - SP – 12 a 14 de maio de 2011. Disponível em<http://www.intercom.org.br/papers/regionais/sudeste2011/resumos/R24-0588-1.pdf >SANTOS, Milton. O espaço do cidadão. 7. ed,2. reimpr. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2014.

PERUZZO, C. Movimentos sociais, redes virtuais e mídia alternativa no junho em que “o gigante acordou”. Ano 7 – nº 2 jul./dez. 2013 - São Paulo - Brasil – p. 73-93.

PERUZZO, C. Revisitando os Conceitos de Comunicação Popular, Alternativa e Comunitária. In: XXIX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Brasília: 2006, p. 4-14.Disponível em<http://www.portcom.intercom.org.br/pdfs/116338396152295824641433175392174965949.pdf>

RECUERO, R. "Deu no Twitter, alguém confirma?" Funções do Jornalismo na Era das Redes Sociais. In: 9º. Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2011, p. 6. Disponível em <http://www.raquelrecuero.com/arquivos/sbpjorrecuero.pdf>

REVISTA USP. São Paulo: Universidade de São Paulo, n. 116, maio. 2018

Downloads

Publicado

2020-09-28