CORES E TERRITORIALIDADES CARIOCAS: UM ESTUDO DE IMAGENS GEOLOCALIZADAS NO TWITTER

Autores

  • Tasso Gasparini de Souza Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Fábio Goveia Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Resumo

O presente trabalho analisou um conjunto de 162.350 imagens geolocalizadas da cidade do Rio de Janeiro publicadas no site de rede social Twitter, no período entre 19 e 27 de setembro de 2017. Partindo de teóricos que estudam imagem, internet e territorialidades, pretende-se analisar como essas imagens revelam uma experiência do território carioca. Para isso foi realizada uma análise cromática das imagens, dispostas em uma visualização do tipo ImageCloud. Entre as considerações finais foi possível perceber que as fotografias são o tipo de imagem com maior presença no conjunto, e que a figura humana é o principal tema retratado nas imagens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tasso Gasparini de Souza, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Mestre pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (Póscom/UFES).

Fábio Goveia, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Professor orientador - Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (Póscom/UFES).

Referências

BELTING, Hans. Antropologia da imagem: para uma ciência da imagem. Morão, Artur (trad). Lisboa: KKYM + EAUM, 2014. 319 p.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

COUCHOT, Edmond. A tecnologia na arte: da fotografia à realidade virtual. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2003.

DATAFOLHA. Time de preferência. Folha de São Paulo, [S. l.], p. 1-36, 8 out. 2019. Disponível em: http://media.folha.uol.com.br/datafolha/2019/09/17/77975ecbd43522f8fe59b29b8f93d09atdp. pdf. Acesso em: 28 jun. 2020.

FLUSSER, Vilém. O universo das imagens técnicas: elogio da superficialidade. São Paulo: Annablume, 2008. 206p.

GORDON, Eric; DE SOUZA E SILVA, Adriana. Net Locality: Why Location Matters in a Networked World. Reino Unido: Wiley-Blackwell, 2011.

HAESBAERT, Rogério. O Mito da Desterritorialização: do "fim dos territórios" à multiterritorialidade. 7a ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

LEMOS, André. Cidade e mobilidade. Telefones, celulares, funções pós-massivas e territórios informacionais. Matrizes / Revista do Programa de pós-graduação em Ciências da Comunicação da Universidade de São Paulo, São Paulo, Ano I, n. 1, jul-dez 2007. Disponível

em: https://www.facom.ufba.br/ciberpesquisa/andrelemos/Media1AndreLemos.pdf. Acesso em: 17 jun. 2020.

_______. Mídias Locativas e Territórios Informacionais. In SANTAELLA, Lúcia, ARANTES, Priscila. (ed). Estéticas Tecnológicas. Novos Modos de Sentir, São Paulo: EDUC., p. 207- 230, 2008.

_______.MÍDIAS LOCATIVAS E VIGILÂNCIA: sujeito inseguro, bolhas digitais, paredes virtuais e territórios informacionais. In: Firmino, Rodrigo; Bruno, Fernanda; Kanashiro, Marta (org.). Vigilância, Segurança e Controle Social na América Latina, Curitiba, p. 621-648.

ISSN 2175-9596.

RAFFESTIN, Claude. Por uma geografia do poder. São Paulo: Ática, 1993. 269 p. ISBN 85- 08-04290-6.

SAQUET, Marco Aurélio. Por uma geografia das territorialidades e das temporalidades: uma concepção multidimensional voltada para a cooperação e para o desenvolvimento territorial. 2. ed. Rio de Janeiro: Consequência, 2015.

SIBILIA, Paula. O show do eu: A intimidade como espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 2016.

SONTAG, Susan. Sobre fotografia. São Paulo, SP: Companhia das Letras, 2012.

Downloads

Publicado

2020-09-28