SONORIDADES DAS FESTAS DO CAMPUS DE GOIABEIRAS DA UFES – TECNOLOGIAS E SENTIDOS APLICADOS À PESQUISA EM COMUNICAÇÃO

Autores

  • Constantino Gabriel Buteri Neto Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Viviana Mónica Vermes Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Palavras-chave:

Sonoridades na Comunicação. Sentidos. Paradigma Ecológico.

Resumo

O artigo trata do uso de gravações sonoras em pesquisas no campo da Comunicação e examina o significado atribuído a termos recorrentes nestas pesquisas, como “som”, “sonoridades” e “paisagem sonora”, explorando como estes significados dialogam ou se afastam de outros campos do saber nos quais o som é fundamental, música, acústica e fisiologia. Compreendemos, a partir do paradigma ecológico proposto por James J. Gibson, juntamente com algumas reflexões da antropóloga Viviane Vedana e do compositor Rodolfo Caesar, ambos em Gibson fundamentadas, que estes termos podem ser pensados como formas de energia estruturada pelo ambiente e definidos a partir da compreensão de sua inter-relação com este ambiente. Neste contexto explicarei como a pesquisa que desenvolvo sobre as sonoridades do Campus de Goiabeiras da Ufes trata destas questões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Constantino Gabriel Buteri Neto, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Mestrando do curso de Pós-graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (Póscom/UFES).

Viviana Mónica Vermes, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Professora orientadora - Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (Póscom/UFES).

Referências

BRASIL. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. DAOCS. Resolução no. 26/2016 –Cun, de 20 de maio de 2016, dispõe sobre: Suspender a realização de festas nos campi da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) até que o Conselho Universitário (CUn) estabeleça nova regulamentação para eventos nesta Universidade. Disponível em: http://www.daocs.ufes.br/sites/daocs.ufes.br/files/field/anexo/resolucao_no._26.2016__suspensao_de_festas.pdf > Acesso em: 09 ago. 2019.

_____. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. DAOCS. Resolução no. 45/2016 –Cun, de 29 de agosto de 2016, dispõe sobre: Regulamenta as festas, as confraternizações e outros eventos na UFES. Disponível em:http://www.daocs.ufes.br/sites/daocs.ufes.br/files/field/anexo/resolucao_no._45.2016.pdf; Acesso em: 09 ago. 2019.

_____. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. DAOCS. Resolução no. 58/2016 – Cun, de 6 de outubro de 2016, dispõe sobre: Alterar os artigos 1.o e 2.o da Resolução no 45/2016 deste Conselho, que regulamenta as festas, as confraternizações e outros eventos na UFES, da seguinte forma. Disponível em:http://www.daocs.ufes.br/sites/daocs.ufes.br/files/field/anexo/resolucao_no._58.2016__alt._da_res._45.2016.pdf; Acesso em: 09 ago. 2019.

CAESAR, R. (2020). Som não é uma coisa em si, e sim o transporte de coisas que vazam. Revista Música, 20(1), 295-308. https://doi.org/10.11606/rm.v20i1.170730.

CONTER, Marcelo Bergamin et al. As sonoridades na Comunicação brasileira: preliminares analíticas. In: 14º Encontro Internacional de Música e Mídia - São Paulo - SP ISBN: 978-85-62959-54-7, 2018. Disponível em: <https://www.doity.com.br/anais/trabalhos-completos-

musimid/trabalho/79753>. Acesso em: 13/08/2020 às 10:43

FOALE, Kim. Listener-Centered Approach to Soundscape Analysis. Salford, 2014. 299 f. Tese. 2014.

GIBSON, James. The Ecological Approach to Visual Perception. Boston: MA: Houghton Mifflin., 1979. 332 p.

KELMAN, Ari Y. Rethinking the soundscape. The Senses and Society, Londres, v. 5. n. 2, p. 212- 234, 2010.

SCHAEFFER, Pierre. Treatise on Musical Objects: An Essay across Disciplines. Volume 20. California Studies in 20th-Century Music, 2017.

SCHAFER, Raymond Murray. A afinação do mundo: uma exploração pioneira pela história passada e pelo atual estado do mais negligenciado aspecto do nosso ambiente: a paisagem sonora. São Paulo: UNESP, 2001.

VEDANA, Viviane. Escutar no som: gravação e edição de etnografias sonoras a partir de um paradigma ecológico. Ilha Revista de Antropologia, Florianópolis, v. 20, n. 1, p. 117-144, out. 201. ISSN 2175-8034. Disponível em:https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/2175-8034.2018v20n1p117>.

Downloads

Publicado

2020-09-28