TERRITÓRIO, TERRITORIALIDADE, PUBLICIDADE E CONSUMO: UMA REFLEXÃO A PARTIR DOS DISCURSOS INSERIDOS NAS EMBALAGENS DE COSMÉTICOS PARA CABELOS CRESPOS E CACHEADOS

Autores

  • Juliana Bellia Braga Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Flávia Mayer dos Santos Souza Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Palavras-chave:

Consumo. Territorialidades. Publicidade. Mulher negra. Embalagem.

Resumo

Nos últimos anos, acompanha-se um movimento de valorização dos cabelos crespos e cacheados que influencia uma mudança no mercado de cosméticos capilares, no qual ocorre um aumento expressivo da quantidade de produtos disponíveis para esse público. Nesse cenário, observam-se mudanças nos padrões de consumo de cosméticos, que passam a abarcar questões identitárias e de pertencimento. Em conjunto com as conexões e laços afetivos facilitados, em parte, pelas redes sociais digitais, essa mudança promove também transformações nos processos comunicacionais e publicitários. Para abordagem desses fenômenos, foi utilizada a pesquisa bibliográfica na tentativa de compreender os conceitos de território e territorialidade no encadeamento desses aspectos, e discutir os discursos das marcas ao investir no estreitamento do relacionamento com seu público. Essa construção ultrapassa as fronteiras do digital e passa a constituir meios da publicidade tradicional, sendo as embalagens de cosméticos capilares um exemplo desse prolongamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Bellia Braga, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Mestre pelo Programa Pós-graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (Póscom/UFES).

Flávia Mayer dos Santos Souza, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Professora orientadora - Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (Póscom/UFES).

Referências

BRAGA, J. B. A mulher negra nas embalagens de cosméticos para cabelos crespos e cacheados. 2020. 170 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Territorialidades) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2020.

CANCLINI, N. G. Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. 8. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2015.

GOMES, N. L. Corpo e Cabelo como Símbolos da Identidade Negra. In: FIGUEIREDO, Angela; CRUZ, Cintia (Org.). Beleza negra: representações sobre o cabelo, o corpo e a identidade das mulheres negras. Cruz das Almas, BA: Ed. UFRB; Belo Horizonte, MG:

GOMES, N. L. Educação, identidade negra e formação de professores/as: um olhar sobre o corpo negro e o cabelo crespo. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 29, n. 1, jan./jun. 2003, p. 167-182.

GOOGLE. Dossiê BrandLab: A Revolução dos Cachos. São Paulo: 2017. Disponível em https://www.thinkwithgoogle.com/intl/pt-br/advertising-channels/v%C3%ADdeo/revolucao- dos-cachos/. Acesso em: 1º jun. 2018.

HAESBAERT, R. O mito da desterritorialização: do 'fim dos territórios' à multiterritorialidade. 5. ed. rev. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

HALL, S.; SOVIK, L. (Org.). Da diáspora: identidades e mediações culturais. 1. ed. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2009.

MARTINUZZO, J. A. Territorialidade: o que é isso? In: MARTINUZZO, J. A.; TESSAROLO, M. (Org.). Comunicação e territorialidades: as pesquisas inaugurais do primeiro Programa de Pós-Graduação em Comunicação do Espírito Santo. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo, Departamento de Comunicação Social, 2016.

PEREZ, C. Embalagens est-éticas!. Meio e mensagem. São Paulo, 2017. Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/opiniao/2017/06/05/embalagens-est-eticas.html. Acesso em: 4 jan. 2020.

PEREZ, C; TRINDADE, E. Embalagens Est-Éticas: materialização de valores sociais marcários. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 40., 2017, Curitiba. Anais eletrônicos... Disponível em: portalintercom.org.br/anais/ nacional2017/resumos/R12-3297-1.pdf. Acesso em: 4 jan. 2020.

ROCHA. E. P. G. A sociedade do sonho: comunicação cultura e consumo. 4. ed. Rio de Janeiro: Mauad, 1995a.

SAQUET, M. A.. Por uma Geografia das territorialidades e das temporalidades: uma concepção multidimensional voltada para a cooperação e para o desenvolvimento territorial. São Paulo: Consequência, 2015.

SLATER, D. Cultura do consumo e modernidade. São Paulo: Nobel, 2002.

SOUZA, F. M. S.; PIROLA, M. N. B. O encontro da teoria semiótica com a publicidade e o consumo. In: ZANETTI, D.; REIS, R. (Org.). Comunicação e Territorialidades: poder e cultura, redes e mídia. Vitória: Edufes, 2017.

Downloads

Publicado

2020-09-28