VIOLÊNCIA CONTRA MULHERES NO JORNALISMO LITERÁRIO

Autores

  • Lais de Mello Rocio Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Victor Israel Gentilli Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Resumo

O paper apresentado é parte do projeto de pesquisa de Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (PÓSCOM-UFES). Este artigo analisa como o jornalismo literário e investigativo pode refletir, debater, contextualizar e humanizar as narrativas sobre violência contra mulheres, de acordo com a perspetiva de gênero e reeducação da sociedade para o enfrentamento à desigualdade de gênero. Com esta proposta, o trabalho utiliza como metodologia a revisão bibliográfica que ligam os conceitos do jornalismo literário, a reportagem investigativa e suas representações sociais, e os estudos sociológicos sobre a violência e desigualdade de gênero. Em busca de fornecer apontamos práticos para a prática do jornalismo no enfrentamento à violência contra mulheres, os atravessamentos das contribuições teóricas utilizadas são revisados e fundamentados por meio de exemplos práticos, de livros-reportagem que narram casos e contextualizam o tema, bem como dados empíricos da violência contra mulheres no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lais de Mello Rocio, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Mestranda do curso de Pós-graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (Póscom/UFES).

Victor Israel Gentilli, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Professor orientador - Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (Póscom/UFES).

Referências

ONU MULHERES. Diretrizes nacionais do feminicídio: investigar, processar e julgar com perspectiva de gênero as mortes violentas de mulheres. Brasília, 2016. Disponível em < www.onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2016/04/diretrizes_feminicidio.pdf >. Acesso em: 28 de julho, 2020.

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Violência doméstica durante a pandemia de COVID-19. 2.ed. São Paulo, 2020. Disponível em <https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2020/06/violencia-domestica-covid-19-ed02-v5.pdf >. Acesso em: 28 de julho, 2020.

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Visível e invisível: a vitimização de mulheres no Brasil. 2.ed. São Paulo, 2019. Disponível em < https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2019/02/relatorio-pesquisa-2019-v6.pdf >. Acesso em: 28 de julho, 2020.

LIMA, Edvaldo Pereira. O Que é Livro-reportagem . São Paulo: Editora Brasiliense, 1993.

LIMA, Edvaldo Pereira. Páginas ampliadas: o livro-reportagem como extensão do jornalismo e da literatura. 4.ed.. Barueri: Manole, 2009.

MEDINA, Cremilda. A arte de tecer o presente: narrativa e cotidiano . São Paulo: Summus, 2003. “O problema da violência sexual é político, não moral”. Entrevista com Rita Segato. Instituto Humanitas Unisinos, 2018. Disponível em <http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/585609-o-problema-da-violencia-sexual-e-politico-nao-moral -entrevista-com-rita-segato>. Acesso em: 24 de julho, 2020.

SAFFIOTI, Heleieth I.B. Contribuições feministas para o estudo da violência de gênero, Cadernos Pagu, nº16, p.115-136, 2001.

SAFFIOTI, Heleieth I.B. Violência de Gênero no Brasil Atual. Estudos Feministas, CIEC/ECO/UFRJ, nº especial, p.443-461, Rio de Janeiro, 2º semestre de 1994.

VILARDAGA, Vicente. À queima-roupa: o caso Pimenta Neves . São Paulo: LeYA, 2013.

Downloads

Publicado

2020-09-28