JORNALISMO DO BEM NA ERA DAS FAKE NEWS

Autores

  • Caroline De Marchi Pignaton Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Ruth Reis Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Palavras-chave:

Jornalismo do bem. Fake news. Engajamento virtual.

Resumo

Este artigo traz discussões sobre como o ambiente virtual promove novos modelos de jornalismo, conhecidos como jornalismo do bem ou jornalismo moral, ao mesmo tempo em que dissemina notícias falsas, as chamadas fake news. Ambos desafiam os valores jornalísticos associados ao jornalismo da era moderna, que prima pela objetividade, em que o jornalista permanece fora dos eventos e informa os fatos acontecidos, teoricamente, de forma imparcial, sem pretender provocar mudanças na realidade social, os chamados produtores de notícias. Esses fenômenos acontecem à margem da ordem produtiva do capital, muitas vezes com recursos próprios ou financiados por quem tem interesse em manter a “causa” e possuem um traço em comum: os cidadãos passam a ser atores e não meros espectadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caroline De Marchi Pignaton, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Mestranda do curso de Pós-graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (Póscom/UFES).

Ruth Reis, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Professora orientadora - Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (Póscom/UFES).

Referências

BOUNEGRU, Liliana; GRAY, Jonathan; VENTURINI, Tommaso; MAURI, Michele. A field guide to Fake News and other information disorders. Disponível em: http://fakenews.publicdatalab.org/.

COSTA, Paulo Celestino. Jornalismo Público: por uma nova relação com os públicos. Revista Organicom. Ano 3. N.4. set. 2006.

DELMARO, Caroline; VALENTE, Jonas CL. Fake news nas redes sociais online: propagação e reações à desinformação em busca de cliques. Media & Jornalismo. Vol. 18, n. 32, 2018. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/mj/v18n32/v18n32a12.pdf.

FIGARO, Roseli. Jornalismos e trabalho de jornalistas: desafios para as novas gerações no século XXI. Parágrafo, v.2, n.2, p.23-37, 2014.

Disponível em: http://revistaseletronicas.fiamfaam.br/index.php/recicofi/article/view/231.

FIGARO, Roseli; NONATO, Claudia; GROHMANN, Rafael. As mudanças no mundo do trabalho do jornalista. São Paulo: Atlas, 2013.

OROZCO GÓMEZ, Guillermo. Educomunicação: recepção midiática, aprendizagens e cidadania. São Paulo: Paulinas, 2014. Tradução Paulo F. Valério.

SCHUDSON, Michael. As notícias como um gênero difuso: a transformação do jornalismo na contemporaneidade. Comunicação & Cultura, n.12, p.139-150, 2011. Disponível em: http://comunicacaoecultura.com.pt/wp-content/uploads/08.-Michael-Schudson.pdf. Acesso

em: 17 jul. 2019.

SOUZA de, Marina Göelzer. Jornalismo de Soluções: um caminho possível. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2017.

TRAQUINA, Nelson. Jornalismo Cívico. 20 anos de Jornalismo contra indiferença. Imprensa da Universidade de Coimbra. 2015. Disponível em: URI:http://hdl.handle.net/10316.2/36658 DOI: DOI:http://dx.doi.org/10.14195/978-989-26-0873-0_19. Acesso em 28 nov. 2019.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo: porque as notícias são como são. 2 ed. Florianópolis: Insular, 2005.

WIESSLITZ, Carmit. ASHURI, Tamar. Moral journalists: The emergence of new intermediaries of news in an age of digital media. Israel, 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1177/1464884910388236. Acesso em: 26 de nov. 2019.

Downloads

Publicado

2020-09-28