A EPISTEMOLOGIA E A EDUCAÇÃO FÍSICA: UM BREVE EXCURSO SOBRE AS PRINCIPAIS PROBLEMÁTICAS DO DEBATE EPISTEMOLÓGICO DA EDUCAÇÃO FÍSICA

Autores

  • Renan Santos Furtado UFPA - ESCOLA DE APLICAÇÃO. PPGED.
  • Carlos Nazareno Ferreira Borges UFPA/PPGED.

DOI:

https://doi.org/10.22535/cpe.v2i50.20796

Resumo

Trata-se de um ensaio de reflexão sobre o debate epistemológico da Educação Física no Brasil, em que buscamos elucidar algumas das principais questões que rondam tal discussão. Nosso estudo é bibliográfico, por fazer uso de materiais já analisados no campo científico da Educação Física. Nosso objetivo principal perpassa pela investigação e apresentação dos principais elementos do campo epistemológico da Educação Física. Buscamos compreender o debate epistemológico da Educação Física em três dimensões, sendo elas: as tentativas de tornar a Educação Física uma ciência; a problemática da identidade epistemológica da área, e; o aspecto referente às matrizes teóricas utilizadas para a produção do conhecimento no campo. Por fim, sinalizamos que a perspectiva da cultura corporal como via avançada, mas não única para pensarmos a identidade epistemológica, pedagógica e política da Educação Física.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renan Santos Furtado, UFPA - ESCOLA DE APLICAÇÃO. PPGED.

Graduado em Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal do Pará (UFPA) no ano de 2017. Especialista em Educação Física escolar pela Escola Superior Madre Celeste (ESMAC). Mestrando em educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPA (PPGED). Professor da Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará. Professor da SEDUC/PA entre 2017 e 2018. Membro do grupo linha de Estudo e Pesquisa em Educação Física Esporte e Lazer (LEPEL/PA), compondo a linha de estudos e pesquisas de produção do conhecimento na Educação Física. Membro do Centro Avançados de Estudos em Educação e Educação Física (CAÊ). Bolsista do programa institucional de bolsa de iniciação a docência (PIBID), de 2014 a 2017. Bolsista do programa Mais Educação durante os anos de 2013 e 2014. Possui aproximação, estudos e pesquisas com os seguintes temas: Teorias pedagógicas; Metodologia de ensino; Educação Física escolar; Produção do conhecimento e epistemologia da Educação Física; Esporte; jogo e educação e corpo e cultura. Possui experiência na Educação Física escolar como área de intervenção e pesquisa a partir de vínculos institucionais, empregatícios e programas de políticas públicas.

Carlos Nazareno Ferreira Borges, UFPA/PPGED.

possui Graduação (Licenciatura Plena) em Educação Física pela Fundação Educacional do Estado do Pará (1990) e Graduação (Bacharelado) em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Espírito Santo (2011); Mestrado (2000) e Doutorado (2005) em Educação Física pela Universidade Gama Filho; Pós-doutorado em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Atualmente é docente associado III da Universidade Federal do Pará, atuando na graduação em Educação Física e Pedagogia. É docente do Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal do Pará (PPGED/UFPA), atuando na linha de Formação de professores, trabalho docente, teorias e práticas educativas; formador de agentes sociais do programa PELC do Ministério do Esportes. Revisor da Revista Brasileira de Ciência do Esporte, Revisor da Revista Movimento, Revisor da revista Pensar a Prática; Revisor da Revista Licere. Revisor da Revista da Educação Física/UEM. Revisor da Revista Brasileira de educação Física e Esportes (REBEFE/USP). É Líder do Centro de Estudos Avançados em educação e Educação Física (CAÊ); membro do Grupo de Estudo e Pesquisa, Lazer e Ludicidade (Moçarai/UFPA). Tem experiência na área de Educação Física e Ciências Sociais, atuando principalmente nos seguintes temas: sociologia do Esporte e das Práticas Corporais; Estudos políticos e Estudos culturais em Educação Física, Esporte, Lazer, Saúde e Educação; formação de Professores, Trabalho docente e Teorias Educacionais; Metodologias de ensino. Políticas públicas e políticas sociais. Gestão social

Referências

ANDERY, Maria Amália. et al. Para Compreender a ciência: uma perspectiva histórica. Rio de Janeiro: Garamond, 2014.

BRACHT, Valter. Educação Física & ciência: cenas de um casamento (in) feliz. 4. ed. unijuí, 2014.

______. Mas, afinal, o que estamos perguntando com a pergunta “Que é Educação Física”. Movimento. Porto alegre, RS, Ano 2 - n. 2, p. 1-8, Junho. 1995.

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo: Cortez, 2012.

DESCARTES, René. Discurso do método. 2. ed. São Paulo: Editora escala, 2009.

ESCOBAR, Michele. Transformação da didática: Construção da teoria pedagógica como categorias da prática pedagógica. Experiência na disciplina escolar Educação Física. 1997. 195 f. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Campinas, SP, 1997

FRIZZO, Giovanni. Objeto de Estudo da Educação Física: as concepções materialistas e idealistas na produção do conhecimento. Motrivivência. Florianópolis, SC, Ano XXV, n. 40, p. 192-206 Junho. 2013.

GAMBOA, Silvio; GAMBOA, Márcia. Pesquisa na Educação Física: epistemologia, escola e formação profissional. Maceió: EDUFAL, 2009.

______;______. Produção do conhecimento em Educação Física: balanços, debates e perspectivas. Maceió: EDUFAL, 2015.

GAMBOA, Silvio. Epistemologia da Educação Física: as inter-relações necessárias. 2.ed. rev. e ampl. Maceió: EDUFAL, 2010.

______. Epistemologia da pesquisa em educação: estruturas lógicas e tendências metodológicas. 1987. 229 f. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em educação, Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Campinas, SP, 1987.

GRAMSCI, Antonio. A concepção dialética da história. Rio de Janeira: Civilização brasileira, 1978.

HALLAL, Pedro; MELO, Victor. Crescendo e enfraquecendo: um olhar sobre os rumos da Educação Física no Brasil. Revista Brasileira de Ciencias do Esporte (Online), 2016.

HEGEL. Georg. Fenomenologia do espírito. Rio de Janeiro: Vozes, 1992.

KUNZ, Elenor. Transformações Didático-Pedagógicas do Esporte. Ijui: Unijuf, 2004.

MARX, Karl. Contribuições à crítica da economia política. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

______. Manuscritos econômicos e filosóficos. São Paulo: Expressão popular, 2010.

______. O 18 Brumário e Cartas a Kugelmann. 4. ed. Rio de Janeiro :Paz e Terra,1978.

______. O capital: Crítica da economia política: Livro: o processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

MEDINA, João Paulo Subirrá. A educação Física cuida do corpo... e “mente”: Bases para a renovação e transformação da educação Física. 2 ed. Campinas: Papirus, 1983.

MILLS, Charles. A imaginação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1982.

MINAYO, Cecília (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 33º. ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2013.

MOREIRA, Wagner (Org.). Século XXI: A era do corpo ativo. Campinas, SP: Papirus, 2006.

SÉRGIO, Manuel. Educação Física, ou, ciência da motricidade humana?. 2. ed. Campinas, SP: Papirus, 1991.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

SEVERINO, Antônio. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez Editora, 2002.

SOUSA, Maristela. Esporte escolar: Possibilidade superadora no plano da cultura corporal. São Paulo: Ícona, 2009.

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Martin Claret, 2013.

Publicado

2020-07-23