REFLEXÕES SOBRE A PARTICIPAÇÃO NO CONTEXTO ESCOLAR

Autores

Resumo

Este artigo tem como finalidade abordar a participação e os mecanismos que a consolidam nos espaços escolares, refletindo sobre a importância desse exercício como princípio fundamental da democracia. Sendo este, resultado de uma pesquisa de cunho bibliográfico, utilizando o apoio teórico de Paro (2012), Lück (2009), Demo (2009), e outros que refletem fundamentos de análise crítica dos objetivos deste artigo, assim definidos: compreender a importância da participação nas instituições escolares, analisar ideias e concepções de autores que contribuam para melhor compreensão da temática, identificar os principais mecanismos de participação adotados nas instituições escolares e refletir a importância da participação para concretização da gestão democrática, com efeito, a busca por esses objetivos constituiu um caminho metodológico para responder a seguinte problemática: como a participação contribui para concretização da gestão democrática nas instituições escolares? Concluiu-se, portanto, que a participação enquanto direito e dever de cada cidadão, deve ser uma prática estimulada, e a escola enquanto local privilegiado de educação formal necessita adequar suas ações de intervenção, buscando aproximar a comunidade e interagir com opiniões e sugestões, transformando assim, a escola em um canal de participação direta, onde direitos e deveres são assegurados e resguardados como condição de qualidade e fundamento da democracia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jerffeson Miguel de Oliveira

Graduado em Pedagogia - UESPI (2017)

Especialista em Gestão Educacional em Espaços Escolares e Não Escolares - UESPI (2018)

Solange Aparecida de Campos Costa, UESPI UFPI

Possui Graduação em Filosofia UFPR (1999)

Mestrado em Letras UFPR (2007)

Doutorado em Filosofia UFPB (2014).

Professora da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) e Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Filosofia (Mestrado) da Universidade Federal do Piauí (PPGFIL/UFPI).

É membro do Banco de Avaliadores (Basis) do INEP/MEC. 

Referências

ARAÚJO, Ulisses. Ferreira. Autogestão na sala de aula: as assembleias escolares. São Paulo: Summus, 2015.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em:< www.mec.gov.br/legis/default.shtm> Acesso em: 21 de julho de 2018.

BRITO, Renato de Oliveira. A relevância da participação da comunidade escolar em um modelo de gestão compartilhada. Brasília-DF: 2011. 87f.:il.

BRITO, Renato. Oliveira.; SÍVERES, Luiz. (2005). As características da participação da comunidade escolar em um modelo de gestão compartilhada. Revista Shophia. Vol.11(1), p.9-20.

DEMO, Pedro. Participação é conquista: noções de política social participativa. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

__________. Educação e qualidade. Campinas: Papirus, 1994.

GADOTTI, Moacir. Gestão Democrática com Participação Popular no planejamento e na organização da educação nacional CONAE. Disponível em: <http://conae2014.mec.gov.br/images/pdf/artigogadotti_final.pdf> Acesso em: 23 de julho de 2018.

GOHN, Maria da Glória. Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 2006, vol. 4, n. 50.

__________. Conselhos Gestores e participação sociopolítica. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2011.
HYPOLITO, Álvaro. Moreira. et al. Democracia Participativa e Gestão Escolar em diferentes contextos: uma construção teórico-metodológica. In: HYPOLITO, A. M.; LEITE, M.C.L.; DALL’IGNA, M. A.; MARCOLLA, V. (orgs.) Gestão Educacional e Democracia Participativa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. – Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017. 58 p.

LIBÂNEO, José Carlos; Oliveira, João Ferreira de; Thoschi, Mirza Seabra. Educação Escolar: Políticas, Estrutura e Organização. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

LÜCK, Heloísa. A evolução da gestão educacional, a partir de mudança paradigmática. In Em aberto, Brasília, v.17, n72, fevereiro/junho 2000.

__________. Dimensões da gestão escolar e suas competências. Curitiba: Editora Positivo, 2009.

MARQUES, Mário. Osório. "Projeto pedagógico: A marca da escola". In: Revista Educação e Contexto. Projeto pedagógico e identidade da escola. n.18. ljuí, Unijuí, abr./jun. 1990.

MOTTA, Fernando. Claudio. Prestes. (2003). Administração e participação: reflexões para a educação. In: Educação e Pesquisa, São Paulo, v.29, n.2, p.369-373, jul./dez.

PARO, Vitor. Henrique. Administração escolar: introdução crítica. 17. ed. rev. ampl. São Paulo: Cortez, 2012.

__________. Eleição de diretores: a escola pública experimenta a democracia. 2. ed. Campinas: Papirus, 2003.

__________. Gestão democrática da escola pública. 4. ed. rev. ampl. São Paulo: Cortez, 2016.

PEREIRA, Maria Cristina Olandim. A participação da comunidade na implementação do Programa Escola Plural. Belo Horizonte: 2002. 128 f.: il.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da educação no Brasil. 13. ed. Petrópolis: Vozes, 1991. 267 p.

Publicado

2019-07-31