Estratégia de Inovação e Modelo de Gestão: O Caso de uma Pequena Empresa Produtora de Cachaça Artesanal

Autores

  • Frederico Andreis Beneli Donadon Centro Paula Souza
  • David Ferreira Lopes Santos Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.47456/regec.2317-5087.2021.10.2.34531.8-27

Palavras-chave:

Empreendedorismo, Capacidade Inovativa, Estratégias, Pequenos Negócios

Resumo

Estudos contemporâneos têm evidenciado a importância da capacidade de inovar no desempenho mercadológico das organizações, com vistas à competitividade e longevidade. Denota-se, entretanto, uma lacuna teórico-empírica de estudos, notadamente nas pequenas e médias empresas, quanto à forma como estas convergem suas estratégias de inovação ao modelo de gestão praticado. Este estudo se posiciona nesse gap teórico e objetiva analisar a estratégia e a capacidade/estrutura para inovar de uma pequena empresa produtora de cachaça artesanal. Metodologicamente conduziu-se um estudo de caso por abordagem qualitativa, com o uso da análise de conteúdo, suportada pela análise de similitude e frequência de palavras. Os resultados viabilizados pelo BMC-Canvas e validados pela análise de similitude indicaram que o alinhamento entre o modelo de negócio e a inovação insere-se de forma estratégica e estruturada na empresa, com reflexos na capacidade de atender novas demandas de consumo e regulação, voltadas ao lançamento de novos produtos de maior valor agregado

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Frederico Andreis Beneli Donadon, Centro Paula Souza

Mestre em Administração pela Universidade Estadual Paulista - Unesp, Câmpus Jaboticabal. Atua como professor junto ao Centro Paula Souza na Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga.

David Ferreira Lopes Santos, Universidade Estadual Paulista

Professor Associado da Universidade Estadual Paulista, Campus Jaboticabal-SP nas áreas de Gestão da Inovação e Finanças Corporativas. Livre-Docente pela Universidade Estadual Paulista, Pós-Doutor e Doutor em Administração de Empresas pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Referências

Agência Brasil (2019). Disponível em http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2019-05/ministerio-da-agricultura-registra-produtores-de-cachaca-e-aguardente. Acesso out.2019.

Andrade, L., Brito, M., Andrade, L., Paiva, A., & Brito, V. (2018). Cachaça sob uma Perspectiva Histórica, Cultural e Simbólica. Revista Gestão em Análise, 7(2), 184-201.

Borges, A. F., Lima, J. B., & Andrade, D. M. (2014). Práticas de inovação em empresa familiar: estudo de caso. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 8(3), 37-54.

Borges, A.F, & Takemoto, F.N.C. (2019). Inovação no setor de cachaça artesanal: estudo de caso. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração 13(1), 79-99.

Brem, A., & Viardot, E. (2017). Revolution of Innovation Management: Internationalization and Business Models. In A. Brem, & E. Viardot (Eds.), Revolution of Innovation Management: Internationalization and Business Models (Vol. 2, pp. 1-13). Palgrave Macmillan.

Camargo, B. V., & Justo, A. M. (2013). IRAMUTEQ: um software gratuito para análise de dados textuais. Temas psicol. [online]. 2013, vol.21, n.2, pp. 513-518.

Chen, J.-S., Tai, H., & Huang, A. Y.-H. (2009). Service Delivery Innovation: Antecedents and Impact on Firm Performance. Journal of Service Research, 12(1), 36–55.

Cheng-Feng Cheng; Man-Ling Chang and Chu-Shiu Li, (2013), Configural paths to successful product innovation, Journal of Business Research, 66, (12), 2561-2573

Dosi, G. The nature of the innovative process. (1988) IN: Dosi, G. (org). Technical change and economic theory. Londres: Pinter Publishers.

Freeman, Chris , & Soete, Luc (1997). The economics of industrial innovation. 1. ed. Cambridge: The MIT Press, 1997.

Gunday, G., Ulusoy, G., Kilic, K., & Alpkan, L. (2011). Effects of innovation types on firm performance. International Journal of Production Economics, Elsevier 133(2) 662-676.

Hughes, M.; Filser, M.; Harms, R.; Kraus, S.; Chang, M.L., & Cheng, C.F, (2017). Family Firm Configurations for High Performance: The Role of Entrepreneurship and Ambidextery. British Journal of Management, 29(4), 595-612.

Instituto Brasileiro da Cachaça – IBRAC (2018). Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Cachaça.http://www.agricultura.gov.br/assuntos/camaras-setoriais tematicas/documentos/camarasetoriais/cachaca/2018/52aro/apresentacao_reuniao_54_camara_abril_2018_ para_apresentacao_envio.pdf. Acesso em jun. 2019.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2017). Rio de Janeiro. Pesquisa Industrial Anual-PIA Produto 2017. https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/industria/9044-pesquisa-industrial-anual-produto.html?=&t=o-que-e. Acesso em nov. 2019.

Martins, M. F.; Silva, N. C.; Euriques, R. A. B., & Cândido, G. A. (2018). Gestão e Tecnologia em Engenhos Produtores de Cachaça no Brejo da Paraíba-Brasil. Revista Gestão Industrial, 14(3), 209-230.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA (2019). Secretaria de Defesa Agropecuária – DAS. A cachaça no Brasil: dados de registro de cachaças e aguardentes. Brasília: MAPA/AECE, 2019.

Nagano, M. S., Stefanovitz, J. P., & Vick, T. E. (2014). Caracterização de processos e desafios de empresas industriais brasileiras na gestão da inovação. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 16(51), 163-179.

Osterwalder A., & Pigneur, Y. (2010). Business Model Generation: a Handbook for Visionaries, Game changers, and Challengers. London, John Wiley & Sons.

Pinotti, R., Verdi, A., & Jeronimo, E. (2018). Processo de formalização da cachaça de alambique no Estado de São Paulo. Revista Científica ANAP Brasil, 11(22), 76-89.

Pinto, J. C., Mazieri, M. R., & Vils, L. (2017). Análise Léxica Automatizada em Administração de Empresas. Anais do VI SINGEP – São Paulo – SP - Brasil. Disponível: http://singep.submissao.com.br/6singep/resultado/an_resumo.asp?cod_trabalho=578. Acesso em 12 nov 2019.

Quadros, R. (2008). Aprendendo a Inovar: Padrões de Gestão da Inovação Tecnológica em Empresas Industriais Brasileiras. Unicamp - Departamento de Política Científica e Tecnológica . Relatório de Pesquisa. Padrões de gestão da inovação tecnológica em empresas brasileiras. CNPq, 2008.

Ramos, A. & Zilber, S. (2015). O impacto do investimento na capacidade inovadora da empresa. INMR - Innovation & Management Review, 12(1), 303-325.

Ratinaud, P. (2009). Iramuteq: Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires. Disponível em http://www.iramuteq.org. Acesso em Nov. 2018.

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - Sebrae (2012). Cachaça artesanal (Séries Estudos Mercadológicos). Relatório completo. p.84, 2012.http://www.bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds. nsf/444c2683e8debad2d7f38f49e848f449/$File/4248.pdf. Acesso agosto, 2019.

______ (2013). Cadernos de Inovação em Pequenos Negócios: Indústria, v. 1, nº 1, 2013: Sebrae; CNPq, Brasília/DF. Disponível em http://www.cadernosdeinovacao.com.br. Acesso em jun.2019.

______ (2016). Sobrevivência das Empresas no Brasil (Out. 2016). Disponível em http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/sobrevivencia-das-empresas-no-brasil-relatorio-2016.pdf. Acesso em jun.2019.

______ (2016). Mensurando a inovação: avaliação em MPES participantes do Programa Agentes Locais de Inovação / Miler Franco D’anjour e Napiê Galvê Araújo Silva (Orgs.). – Natal: SEBRAE/RN.

______(2018). Panorama dos Pequenos Negócios 2018. Disponível em https://m.sebrae.com.br › Panorama_dos_Pequenos_Negocios_2018_AF. Acesso em jun.2019.

Stefanovitz, J. P., & Nagano, M. S. (2014). Gestão da inovação de produto: proposição de um modelo integrado. Production, 24(2), 462-476.

Tidd, J., Bessant, J., & Pavitt, K. (2008). Gestão da Inovação. Porto Alegre: Bookman.

Turra, E. B., Mioranza, C., & Coltre, S. M. (2017). A Inovação como Vantagem Competitiva: Estudo de Caso em uma Pequena Empresa. Revista Brasileira de Gestão e Inovação 5(1), 1-22.

Varandas Junior, A., Salerno, M. S., & Miguel, P. A. C. (2014). Análise da gestão da cadeia de valor da inovação em uma empresa do setor siderúrgico. Gestão & Produção, 21(1), 1-18.

Von HippeL, Eric, Ogawa, Susumu, De Jong, & Jeroen P. J. (2011). The age of the consumer-innovator. MIT Sloan Management Review 53(1), 27-35.

Wittayapoom, K. (2014). New Product Development, Accounting Information and Internal Audits: A Proposed Integrative Framework. Procedia - Social and Behavioral Sciences, 148, 307–314.

Wu, J. (2011). Asymmetric Roles of Business Ties and Political Ties in Product Innovation. Journal of Business Research, 64 (11), 1151–1156.

Zhang, L., & Wu, B. (2018). Farmer innovation system and government intervention: an empirical study of straw utilisation technology development and diffusion in China. Journal of Cleaner Production, 188, 698-707.

Zhao, X., Pan, W., & Chen, L. (2018). Disentangling the relationships between business model innovation for low or zero carbon buildings and its influencing factors using structural equation modelling, Journal of Cleaner Production, 178, 154-165.

Downloads

Publicado

2021-08-06

Como Citar

Donadon, F. A. B., & Santos, D. F. L. (2021). Estratégia de Inovação e Modelo de Gestão: O Caso de uma Pequena Empresa Produtora de Cachaça Artesanal. Revista Gestão & Conexões, 10(2), 8–27. https://doi.org/10.47456/regec.2317-5087.2021.10.2.34531.8-27

Edição

Seção

Artigos